Procure aqui o que voce perdeu

mercoledì 20 aprile 2016

Entre mães filhos e compotas.

Ve-la cozinhar já é um presente. Quando ela começa a me contar histórias sobre sua vida,  familia, como se relaciona com o mundo é uma canção celestial. Me emociona, me transporta a tempos que julgava esquecidos, palavras que perfumam o ambiente. Já sentiram palavras que perfumam? Eu sim. E vieram dela: Mrs Temple.

Nossa, não sei o que é mais trabalhoso, fazer as compotas ou lavar e esterilizar este montão de vidros.
As duas coisas podem ser consideradas trabalhosas, mas fazem parte da tradição da nossa familia que eu receba os meus meninos no dia das mães e que cada um leve para sua casa compotas, geléias, tortas, feitas por mim.
Que bacana!
É um jeito que arranjei de ficar mais tempo perto deles.
Mas não tem muita coisa? São quatro filhos não é mesmo?
Ahhh eu faço bastante e dou sempre a mais, para que eles presenteiem seus amigos, pessoas que de alguma maneira  sintam que estão precisando de um gesto de afeto.

Vi a etiqueta feita por ela com data e a dedicatória: Com amor, mamãe.
Me senti envolvida nessa atmosfera de amor.

Foi sempre assim? E quando você trabalhava?
Sim, foi sempre assim, quando  saíram de casa, um por um foi ganhando sua cesta e que eles  trazem vazia e voltam com ela  cheia. Quando eu trabalhava as vezes cozinhava até de madrugada.
Eu hein, tem o Whole Foods,  Fresh Thyme e se não estiver satisfeita tem o Trader Joe's , desculpe-me mas só de pensar estou cansada.
Querida, foi uma maneira de dar meu amor, meu cuidado de nutrir o corpo e a alma das minhas crianças. Entrego nas cestas um pouco de mim. Eles adoram, me certifico disso, quando vejo sorriso nos olhos  quando eles recebem a cesta, quando fazem apostas sobre o que tem dentro delas. Ficam o fim de semana todo tentando adivinhar. É muito divertido, muito amoroso, muito nosso.

Fiquei pensando e não consegui me lembrar de quando minha mãe fez algo semelhante, porém tenho certeza de que ela deu a melhor parte todas as vezes que deixou de comprar algo pra ela, para comprar para nós, deixou de comer o melhor pedaço do frango para que o comêssemos, deixou de ir ao cinema,  bater papo com as amigas, porque estava cansada por trabalhar demais pra botar grana em casa, me lembro quando ela tirou dinheiro da poupança pra pagar meu curso de inglês.
Sem que eu percebesse ela encheu várias cestas. E eu nem tinha um sorriso nos olhos...

Essa sacola é pra você.
Pra mim? Me dá uma abraço!!!! (Lembram do abraço? Finalmente chegou a hora!)

Aquele abraço me supriu mais que as gostosuras que havia dentro da sacola, aquele abraço me encheu de esperança de um dia ser uma mãe que escolhe todos os dias dar a sua melhor parte aos filhos. Seja em forma de geléia, um cartão, um pedaço de frango.

Foto: Baú da Lola Diacuy













14 commenti:

  1. Risposte
    1. Tomara que tenha sido uma viagem boa. Beijooooo obrigada por me prestigiar com sua presença aqui.

      Elimina
  2. Cadê teu livro, mulher??? Tu escreves tão bem...

    RispondiElimina
    Risposte
    1. Rsrsrs ai gente, vou acabar acreditando.

      Elimina
  3. O blogger comeu meu comentário: ms temple é agente secreta enviada pela Rosa Noronha pra te nutrir!

    RispondiElimina
    Risposte
    1. Hahaha Rosa tem amor com pimenta e Mrs Temple tem amor com açúcar mascavo.

      Elimina
  4. Lindo texto! Me lembrou o que é missão de mãe, para nós a cesta dos filhos sempre estará meio vazia, rsrs...Beijocas!

    RispondiElimina
  5. Que lindo! As palavras vieram rápido porque Qui alguém precisava lê-las. É o meu caso. Já disse que através de ti aprendi amar Mrs Temple. Mas a descrição que fizeste da sua mãe, trouxe a minha de volta com uma velocidade... Amei! Beijos.

    RispondiElimina
    Risposte
    1. Acho que tem um pouco da mãe de cada uma de nós nesse post Sandra. Obrigada por sempre estar por aqui.

      Elimina
  6. Leio sempre seus textos. São incríveis. Um beijo.

    RispondiElimina
  7. Recebi de minha mãe...geléias, cartões e pedaços de frangos... Faço de tudo pra que esse perfume de mãe, minha filha possa sentir ao acionar as memórias da vida. Lindo texto!��

    RispondiElimina